Páginas

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Resenhando na Prateleira - Edição Kindle Unlimited - # 1: Depois de Um Engano - Helena Solon

Olá pessoal!

E pra inaugurar o nosso novo post segue um livro bem interessante:

DEPOIS DE UM ENGANO - Helena Solon
Ebook Kindle


Uma mulher bem resolvida. 
Uma arquiteta, que só tinha como objetivo ampliar seus negócios e crescer cada vez mais. 

Ela tinha como sócio, Gui, um gay que era o seu melhor amigo, confidente, e que ela amava como a um irmão.
Mas nem tudo é como se deseja, e um belo dia, ela se depara com um homem que mexe demais com os seus sentimentos, mas que fugia de tudo que ela acreditava, procurava e sonhava.
Um homem que tinha de tudo para ser feliz. Sedutor, bonito e rico, mas que preferiu seguir por caminhos tortuosos. 
O que ela sentiu por ele era tão absurdamente forte, que ela resolveu arriscar.
Por amor ela o aceitou, e por amor ela o perdoou diversas vezes, até a última, a pior delas, que mudou sua vida para sempre.
Depois de um engano, uma história conflitante, sobre até que ponto se deve perdoar.

Sabe quando você está naqueles dias em que quer ler alguma coisa... mas não sabe o que? Pois é, eu estava nessa. Zapeava pelo KU, tentando encontrar algo pra ler, algo que me prendesse o interesse, algo que chamasse minha atenção já na sinopse - coisa que, confesso, estava ficando difícil.

Até que, depois de várias zapeadas me deparo com esse livro aí. Sinopse diferente e interessante. Eu já tinha lido um livro com essa temática antes (agressão/relação abusiva) que não tinha me agradado, e depois de ler o texto acima fiquei muito tentada a descobrir se este poderia ser melhor que o outro. E com esse pensamento, a curiosidade começou a bater insistente e então não teve jeito: lá foi o livro pro meu Kindle, rsrs.

E aí vocês perguntam: mas e aí, Gisele? Gostou?

Sinceramente?

Gostei muito do bichinho!! rsrs.

Já de início acabei descobrindo, com a leitura, que essa sinopse aí tá meio furada. Digo meio furada, no bom sentido. E é meio furada porque ela acaba fazendo você se interessar por apenas metade da história, sendo que a outra metade é ainda melhor. E isso acaba te surpreendendo, no final das contas... enfim, não sei se deu pra seguir minha linha de raciocínio aqui, mas resumindo: A história do livro é muito mais do que a sinopse mostra, e é muito, muito boa, rs.

E não precisam ficar com receio de spoiler, pois de cara a gente já conhece Arianne, a "mocinha", no meio de um drama que muitas mulheres conhecem bem demais: numa cama de hospital, com seu amigo do seu lado, e o corpo todo arrebentado, cortesia do seu "querido" marido. E o mais incrível, ou mais crível diante da infeliz realidade brasileira, é que ela é exatamente como é descrita na sinopse acima: uma mulher forte, bem sucedida, com uma profissão sólida que adora, com amigos maravilhosos, uma vida feliz, e que, lamentavelmente, acaba entrando numa roubada sem tamanho, na forma de Arthur, uma cara rico, bonito, boa pinta, bom de papo... como todos do tipo deles são, não é? E daí que o Gui, amigo dela, pega o cara cheirando cocaína no banheiro do barzinho em que eles se conhecem? Isso é apenas um pequeno detalhe, coisa boba, sem importância, afinal ele é rico, bonito, boa pinta... enfim né?

Aos poucos ela vai sendo envolvida por todo o charme do cara. Quem não iria, não é mesmo? Nós mulheres as vezes vemos apenas aquilo que queremos ver e bloqueamos o resto, exatamente como a personagem faz, nesta parte da vida dela. E daí, minhas amigas, danou-se. Mesmo com todos os sinais de alerta piscando por todos os lados avisos do tipo "filha-sai-fora-dessa-que-isso-vai-dar-m*rda", ela acaba entrando num barco furado sem leme e sem direção, quer dizer, em um relacionamento, e posteriormente casamento, com o tal boy magia... negra!

E daí, a coisa só vai ladeira abaixo. A autora descreve como o relacionamento dos dois foi escalando nas discussões, na agressão verbal, nas ameaças, nos tapas, nas humilhações, como ele se dizia arrependido e como no final ela perdoava, arranjando desculpas para o comportamento dele, como ela fica grávida e tem uma filha no meio de tudo isso, a problemática dos pais deles em especial a mãe que o protege mesmo estando errado, até chegar nas vias de fato e a gente voltar novamente ao ponto do começo do livro, com Arianne no hospital se recuperando da surra do marido. 

E foi justamente aí (que é até onde a sinopse vai), exatamente nesse ponto que o livro (que não é muito, está no começo do livro), pelo menos pra mim, passou de um livro "ok, tá interessante, mas quero ver onde vai dar" para um livro "Caramba, não é que esse negócio é bom mesmo???!!!" rsrs. Esse ponto foi o divisor de águas entre ele e aquele outro livro que não me agradou muito. Pois nesse ponto, depois de ver seu rosto no espelho e ver o estrago que o "querido marido" fez no rosto e no corpo dela, que ela simplesmente decide: CHEGA!! ACABOU!! PONTO FINAL!!

E a partir daí, meus amigos, é uma outra vida. E olha que eu pensei que a Arianne ia arregar e ceder algumas vezes, como sempre acontece, com toda aquela coisa de "vamos tentar mais uma vez, pelo bem de nossa filha", mas nããããooo. Não teve santo nem chantagem emocional que a fizesse mudar de ideia. Ela decidiu que já tinha aguentado demais, e ficou firme na sua posição: não arredou o pé, não cedeu, não desanimou. Arrumou as coisas, catou a filha, virou as costas e não olhou para trás. E olha que ela foi bem pressionada, em especial pela mãe do ex, pois sempre que tem filho no meio a coisa complica um pouco. Mas além de se proteger, ela estava decidida a proteger a filha de um potencial maníaco. Afinal, o cara poderia fazer coisa muito pior, com ela e com a filha.

É claro que tem muito mais história no livro. Teve muitas partes que me fizeram ter uma mistura de sentimentos: raiva, tensão, alegria, medo, raiva de novo... é compreensível, pois esse não é um tema fácil de lidar. E sim, pessoal, já digo que a história termina bem, mas pra saber como é esse "bem" vocês vão ter que ler o livro, rsrs.

Agora, vou dizer uma coisa pra vocês: Gui e Antony, melhor casal, são os amigos gays que toda mulher deveria obrigatoriamente ter nessa vida!!!! Maravilhosos, companheiros, lutadores, amigos de fé para todas as horas, e às vezes muito mais machos que muitos héteros por aí! rsrs. Faziam tudo pela Arianne e garanto que sem eles a história ia ser contada de outra forma, muito pior.

E vou dizer mais uma coisa: que diferença os pais fazem na vida de um filho não é? E isso tanto para o bem, quanto para o mal. E no caso desse livro, muito, muito mal. Ô mulherzinha desgramenta essa mãe do Arthur hein? O pai até que tenta melhorar mas ela, afffff!! Ainda bem que a Arianne bota a dita no lugar, várias vezes!! rsrs.

E vou dizer a última coisa: aiaiai... acho que vou começar a fazer trabalho voluntário em hospitais... quando lerem o livro, vocês vão entender direitinho o porquê dessa minha súbita vontade, rsrsrs. 

É claro que, mesmo nos melhores livros, nem tudo é perfeito. Achei alguns pontinhos negativos, que, apesar de não chegar a apagar muito a trama, me incomodaram um "cadinho" e resolvi mencionar por aqui:
  1. Alguns diálogos são muito longos. E alguns deles tem até mais de um parágrafo, com a fala de somente UM personagem. Fica parecendo mais um discurso do que um diálogo. Percebi que isso é uma coisa recorrente nas obras dessa autora, sendo que neste livro a coisa até que tá mais contida e, diante do tema, até um pouquinho compreensível. Mas mesmo assim, isso pode deixar a leitura cansativa pra quem gosta de uma coisa mais sucinta, mais "curta e grossa";
  2. Algumas cenas, por vezes, são excessivamente descritivas. Outra coisa recorrente nas obras da autora. Por exemplo: se a personagem está saindo de casa para encontrar alguém, ela descreve exatamente a roupa que ela veste, os acessórios que ela coloca, por onde ela sai, os exatos lugares por onde ela passa, as coisas que ela vai vendo pelo caminho, se encontra alguém, se vê algo interessante... e aí, até ela chegar no destino, onde vai acontecer algo importante, lá se foram umas 2 ou 3 páginas, rs. Pra quem é mais irriquieta e gosta de ir direto ao ponto na leitura, isso pode incomodar um pouco e fazer pular páginas ou perder o interesse.
  3. Umas pouquíssimas cenas descritas no livro poderiam ser totalmente descartadas que não iam fazer falta nenhuma. São acontecimentos que ligam nada com lugar nenhum. A coisa acontece e acaba em questão de segundos, e depois não são nem ao menos lembradas, sendo que muitas coisa poderiam ter sido resumidas - nisso, volto ao ponto número 2.
Bom, apesar dos pontos que descrevi acima, reafirmo que não apagam muito a experiência de ler o livro. Gostei muito da história, os personagens são interessantes, a narrativa segue muito bem, prende a nossa atenção e a gente não quer largar enquanto não terminar, rs. 

É uma história que nos fala de erros, lutas e desespero, de como podemos arrancar forças onde achávamos já não haver nenhuma, e de que, apesar das coisas ruins que nos acontecem, com fé, amor e perseverança sempre podemos dar a volta por cima, recomeçar e sermos muito, muito felizes!

No final das contas, o título realmente combina perfeitamente com essa história, rs.

E lembrando, pra quem não tem KU, todos os livros de lá também estão disponíveis para compra na Amazon, por um precinho camarada. 

Beijos e até,

Gisele

Nenhum comentário:

Postar um comentário