Páginas

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Crônicas & Achologias da Prateleira # 1 - "Festa Estranha Com Gente Esquisita..."

Olá pessoal,

Peço licença para pegar emprestado uma célebre frase de um grande sucesso do Legião Urbana, pois só ela pode descrever o espanto que me acometeu quando me deparei com algumas das “lindas estórias” assim descritas por leitores no Goodreads –  rede social voltada para discussões e troca de opiniões sobre vários títulos literários. 

E desde já, afirmo: nada contra o Goodreads, que eu adoro, pelamordedeus... mas que fiquei completamente confuuuuusa, ah, fiquei, rs.

E o espanto foi por conta do que é visto como “romance”, “linda história de superação” (toda vez que escuto essa já fico com calafrios, kkkk), “pequenas dificuldades de relacionamento”... aiaiai gente, será que estou ficando velha, ou as coisas estão assim mesmo? Sempre digo que sou uma dinossaura virtual... vai ver que sou muito mais dinossaura do que achava, rsrs.


Ok, voltando ao fio da meada, estava lá, dando cliques e mais cliques no links dos livros e dando uma olhada nas resenhas e ... nossa. Caí de paraquedas em uns títulos chamados de “dark novels”... ou seja, romance sombrios. Só pelo nome dá pra ver que o negócio não é lá um mar de rosas.  E desde já deixo claro que não estou falando de estilo de escrita ou classificação do livro, afinal a gente sabe que tem vários tipos de “romance”, ou seja, o livro em si: romântico, suspense, terror, etc, etc. Estou falando do conteúdo mesmo. Amor romântico mesmo, vejam só, rs. Daqueles que quando o cara te ama, ele não te abraça e beija... ele tenta te matar... porque te ama demais... olha só que liiiindo não?

E o que me deixa mais confusa são as opiniões. OK, eu sei... opinião é que nem b*nda, cada um tem a sua, mas gente... me ajuda aí! Será que hoje em dia o pessoal tá achando mesmo lindo uma estória onde a “mocinha” acaba em um relacionamento doentio com o cara que a estuprou? Ou acha uma “estória de superação” um livro onde a mocinha leva porrada – e quando digo porrada é porrada MESMO – do (dito) mocinho da estória o livro inteiro, por vontade própria, pra no final ele falar que fez tudo por amor? E a mocinha aceitar, chorando de emoção? Ou que são meros “problemas de relacionamento” uma mocinha que é obrigada a dar pra  mais de meio mundo pra sobreviver por ordem do (dito) mocinho da estória, pra ver ela se ferrar de verde e amarelo?

E minha grande teoria achológica é que tudo resulta do grande mito que é quase uma lenda urbana, que permeia o imaginário de toda mulher romântica, e mesmo de todas as que fingem que não são românticas, mas que gostariam de encontrar um cara pra provar a elas o contrário: o mito do canalha redimido. Sabe, aquela lenda do bad boy, que é um babaca galinha e irresponsável, mas que muda da água pro vinho, praticamente nasce de novo, quando encontra "A" mulher, e aí larga todas as piriguetes, pára com os vícios, se torna um homem exemplar, tudo em nome do amoooor? Pois é...é mito mesmo viu mulherada? rsrs. E ainda mais quando o mocinho é um cara é um sociopata, sádico e estuprador... difícil o cara dar uma mudadinha hein? Nem pela própria mãe, quando mais por uma mulher que ele, na verdade, só quer transar. Se ela sair viva dessa tem mais é que levantar as mãos pro céu, dar pulinhos de alegria, enquanto corre mais duro que puder para o lado oposto do cara, pode acreditar, rs.

Mas nããão... sempre tem uma que acha que com ELA vai ser diferente... O cara é um psicótico alucinado assassino e estuprador.... mas no fundo, bem no fundo, lá no fundinho mesmo, ama a mocinha... apesar de ter deixado a pobre toda f*dida e mal paga, ele ama... 

Então tá...

Desculpem, mas só posso chegar a uma conclusão lógica e totalmente embasada cientificamente: 

WTF!!!! Rsrs.

Apesar de ter no meu nome, preciso de uma luz gente!!!kkkkk. Será que sou só eu, ou o que é considerado “romance” está mudando? Será que luz de velas, mocinho carinhoso, e mocinha inteligente e divertida está fora de moda? Será que estou mesmo ficando velha, e perdendo o fio da meada? Será que o mundo enlouqueceu? Rsrsrs.

Minha teoria achológia é que, bem, sim... um pouquinho... afinal, ainda sou do tempo de gostar do homem fazer carinho, beijar, abraçar e outras cositas mais... mas sem envolver escoriações, fraturas, estupros, visitas ao PA ou traumas psicológicos... mas enfim, essa sou eu...rs.

Bem, a título de ilustração, seguem aqui alguns dos livros desse estilo que “causam” por lá. Talvez tenha alguma psicóloga por aqui e possa nos dar uma opinião, à luz de Freud, kkkkk. Coisa de louco... ou não... sei lá... rs.

E nem vou falar aqui de Captive In The Dark, o supra sumo da Síndrome de Estocolmo, rsrs. Afinal, acho que muita gente já conhece por aqui e tá muito batido. Portando, vamos a outros, só uma amostrinha básica:

I Know What Love Is (I Know... #1)
I KNOW WHAT LOVE IS - Whitney Bianca
(Eu sei o que é o amor)

Ok.. por onde começar com esse aqui... bem, talvez com SOCOOORROOO!!! kkkk
Confesso, esse aí me deu até pesadelos à noite!!! Creeedo, que coisa horrível! Pra começar, o negócio é sobre estupro. Eu que tenho horror a esse tema, já fiquei com todos os pés, mãos e dedos atrás.
E ainda fui cair na besteira de dar uma LD no livro e deus meu... mais uma vez, socorrooo!!
Pelo menos a autora é honesta e já começa falando que esta não é uma estória de amor. Mas tem gente que acha que é, coisa que não entendo até agora... é uma relação doentia, louca, insana, distorcida, que, acho eu, nem mesmo o melhor dos psicólogos conseguiria entender, rs.
Bem, a estória é a seguinte: Daisy (ou Joan), uma moça normal, entra em um bar, de boa, pra curtir a night. Até que um cara esquisito, o Elliot, começa a ficar de olho nela... então, resolve atacar. De repente, no meio do bar, o cara a agarra, a arrasta para o banheiro, e lá, a estupra. Isso mesmo, dentro de um bar super movimentado, a menina lá, sendo estuprada. Depois ele larga ela lá, e obviamente, ela demora um tempo pra se recompor, e até mesmo para crer e processar o que acabou de acontecer com ela. Depois de um tempo, sai andando do banheiro, pensando que tudo já passou e só querendo ir pra casa. 
Ledo engano...
O cara fica tão obcecado por ela, depois dessa "primeira vez" deles, que resolve sequestrar a pobre e carregar ela pra casa dele. E lá ela sobre mais estupros. Constantemente, sem trégua. Horrível...
O pior desse livro é que as cenas dos estupros são perturbadoramente gráficas. Não tem essa de disfarçar ou encobrir as coisas, é tudo mostrado lá, bem cru e sombrio... o que ele fez, o que ela sentia... é uma coisa absolutamente pavorosa. 
E aí, depois disso, ela consegue fugir e aí você pensa: "Ai, acabou né?" Não... a bagaceira está apenas começando...
O mais pavoroso de tudo isso são os sentimentos que ela desenvolve pelo Elliot e vice-versa. Ele realmente acredita que está completamente apaixonado por ela, em um nível que não é compreensível. O cara é um doente, maníaco... e ela acaba ficando igual a ele, porque desenvolve uma obsessão doentia por ele que vou te contar. Não consigo nem entender isso como amor, como ela se apaixonar por ele, acho mais que é uma coisa insana, síndrome de Estocolmo, sei lá. Ela mesmo depois de ter sido abusada de todas as piores formas possíveis volta a procurá-lo, não deixa ele em paz, com a desculpa de querer fazê-lo pagar... só que não. e ele então, nem vou tentar começar a entender os sentimentos dele por ela, porque é uma coisa sem explicação...
Mocinha doente, mocinho com vários parafusos e até mesmo porcas a menos... nível WTF no máximo, pra esse livro! rs.


Roman (Roman, #1)
ROMAN - Kimber S. Dawn
(Roman)

Mais um "mocinho" metido no mundo do crime. Isso, aliás, está virando rotina, não? Me corrijam se estiver errada, mas quando um cara é um assassino frio, sádico e estuprador, pode ter alguns problemas pra manter um relacionamento saudável, não acham?? Então, vocês vão entender o meu completo espanto e confusão ao ver a "mocinha", uma policial, caindo de amores por esse cara!!! E lá se vai ela, de bom grado, ser estuprada, açoitada, maltratada e tudo o mais no caderninho de sadismo do cara. 
O mais engraçado foi um dos comentários, que diz que o livro é uma mistura de Crepúsculo com Silêncio dos inocentes, rs. Pensei comigo: aiai... mais um fanfic de crepúsculo...kkkk. O último deles que fiquei sabendo resultou em 50 Tons... até achei parecido porque a mocinha deste tem até uma "voz interior", rsrs. Não deve ser a tal da "deusa", porque pra meter ela nessa enrascada tá mais pra diabinha interior, rsrs. 
E esse tal de Roman... que de Edward não tem nadinha, e Christian Grey ia parecer um anjo de candura na frente dele...
Bem, mas vamos a estória: Heather é uma detetive policial que dá uma de durona e que resolve trabalhar no antigo caso do pai, que é conseguir agarrar o tal do Roman e fazê-lo pagar por seus crimes na justiça. E ela resolve então, encarar essa, trabalhando disfarçada no caso. Aiai, toda vez que vejo esses policiais "trabalhando disfarçados" nesses tipos de romance sempre penso: "vai dar m***"
Não foi diferente nesse aqui....
E é aí que começa a bagaceira total. E a coisa vai escalando em algo totalmente inimaginável... em um nível de devoção e submissão que foge um pouco da minha normal compreensão... mas enfim... o jeito que encontrei pra descrever a estória foi enumerando alguns dos acontecimentos marcantes dessa pérola da literatura erótico-romântica:
1. Ela começa a se relacionar com Roman, que fica obcecado por ela e a chama para morar na casa dele... obviamente ela aceita;
2. Ela é virgem. Então, obviamente, o que Roman, como o bom psicopata sádico que é, faz? Estupra a pobre de forma brutal e violenta...e aí ela pensa, banhada no próprio sangue, como uma mulher realizada (só que não): "nossa, como ele é bonito" (tô falando, essa "voz interior" é a maior roubada...);
3. Ela apanha recorrentemente do cara. E tô falando de porrada mesmo, de arrebentar. E o que acontece? ela se apaixona mais por ele - ah, o amooorrr..... (socooorro);
4. Tem um cara que é apaixonado pela Heather, e sempre promete tomar uma providência... um dia desses, quem sabe. Ah, o amooorrr (2)... quem não quer um cara apaixonado como esse não? Que um dia, quem sabe, num futuro próximo, vai tomar uma providência para salvar a amada? (Acho que tô ficando meio enjoada pessoal...);
5. O "mocinho", numa das sessões diárias de surras, arrebenta tanto a cara da mocinha que a pobre precisa fazer cirurgia plástica pra consertar o estrago... (aff... já estou perdendo minhas forças, gente);
6. Ponto alto da coisa: ela fica grávida. É, isso aí: grá-vi-da.. (ai, acho que vou desmaiar....);
7. Depois da gravidez, como se isso ainda fosse possível, ele a trata ainda pior.. e aí a mocinha toma a única atitude racional que ela vê ser possível.... ELA CASA COM ELE (....ploft! - Gisele caindo durinha no chão...)
8. Ele mata ela... ah, falei mesmo, dane-se! rsrs. Ok, fica implícito, mas levando em consideração tudo que ele fez com essa coitada no livro, ah gente, ele mata sim!!! E isso depois de ter matado 12 antes dela.... Spoiler nível máximo, pra um livro horrível! E isso porque já não tenho argumentos, forças, nem raciocínio pra continuar com essa bagaceira!!! rs.

Então... alerta WTF vermelho pra esse livro!! Não recomendo nem por curiosidade!!!!


The Decimation of Mae (The Blue Butterfly, #1)
THE DECIMATION OF MAE - D. H. Sidebottom
(A Dizimação de Mae)

Ooooook.... é de se achar que um livro que tem como título a dizimação da personagem principal pode não ser boa coisa... e bem... BINGO!! Não é mesmo! rsrs.
Afinal, mais uma vez, eu ACHO, só achologia, como o título do post... mas eu ACHO que um relacionamento saudável que seja não dá pra começar com estupro dá??? Não, né gente!!!!
Pois é assim que começa esse "lindo" e "profundo" romance. O tal do Daniel o "mocinho" estupra a Mae - a dizimada do título - na época com apenas 18 anos. Ela fica traumatizada (o que era de se esperar...) e pra extravasar esse trauma começa a se auto mutilar (o que continua a ser o que se esperar...).
Só que aí começa a fudelança, desculpando trocadilho mórbido. O cara, como do primeiro livro mencionado, fica obcecado pela Mae. Tanto que fica cercando a menina, até ela completar 21 anos, quando pega ela de novo. E aí além dos estupros, as surras e torturas começam. E não estou falando de chicotinho de couro não.. estou falando de bastão de ferro. O cara bate na menina com isso e deixa ela de cama por 2 semanas... e aí depois, o que ele faz? Pede perdão? É claro que não... afinal ele é um psicopata demente FDP da casa do C* (respira Gisele, respira.....)
Ok, voltando... depois da surra, o que ele faz??? Pede pra ela ajoelhar... ai, o cara quebra seus ossos, deixa você se recuperar por 2 semanas, só pra poder pedir pra você se ajoelhar pra ele... que romântico não é? (respira de novo Gisele, respiraaaa...)
E o negócio é a mistura de sentimentos que a mocinha sente por esse cara. O fato é que a pobre não sabe se ama ou odeia o doido. Uma hora ama, outra hora odeia... aí pergunto: que dúvida é essa filhaaaaa???????? O que tem pra AMAR num cara desses meus sais!!! (continua respirando Gisele, respira maisssss....)
Acho que a personagem é tão doida quanto ele. E nem vou entrar numas de analisar o "mocinho" aqui. E nem vou mais chamar de mocinho. Vou nomeá-lo "demente FDP nº 3". Só isso pra classificar esses "mocinhos" desses dark romances, afff...
Tá, voltando à grande m... quer dizer, ao livro. O tal do Daniel simplesmente ficou completamente e totalmente obcecado na menina. Ele encarnou que vai fazer a Mae se submeter a ele em todos os sentidos. Como uma pequena ovelha pro abate. Tanto que ele a chama de little lamb (pequena ovelha). E ele resolveu que essa ovelhinha vai servir muito bem ao seu "projeto escravidão vitalícia" que ele tem em mente. Psicopatia pura. Mas enfim... (continua respirando Gisele.. você consegue...)
Aí, vem o momento WTF do dia: ELA FICA GRÁVIDA DELE!! (Ah, pára de respirar Gisele, danou-se!!!!)
E aí, o que você acha que acontece??? Ora, ela entrega a filha pro PAI dela criar, óbvio... é isso mesmo que vocês estão lendo.. quando digo PAI, quer dizer o "demente FDP nº 3" mesmo.
E porque ela deixa a filha pra ele criar? (É, é uma menina... que ironia...).
Porque ela está morrendo com um tumor cerebral... então ele a ajuda a cometer eutanásia, ela diz que o ama, ele confessa que a ama, e fim... igualzinho novela mexicana SÓ QUE NÃO!!
Ah, e a ironia pela filha deles ser menina, é porque esqueci de contar o que o cara faz pra viver: compra e venda de mulheres... ah, que lindo ...SÓ QUE NÃO!!
E eu até podia continuar a falar desse livro mais um pouco... SÓ QUE NÃO vou!!! kkkk
Também chega né? Daqui a pouco já vou estar babando e grunhindo de tanta piração, rsrs.
Mais alerta WTF super vermleho!!! Precisa falar que NÃO recomendo? rsrs.

Tears of Tess (Monsters in the Dark, #1)
TEARS OF TESS - Pepper Winters
(Lágrimas de Tess)

Mais um livro de "mocinho" policial que trabalha disfarçado numa organização de tráfico de mulheres. Não falo que esse negócio de policial disfarçado só dá m*rda?? Mais uma, pra engrossar as fileiras do coro taca-fogo-nesse-livro! rs.
Aliás, esse povo adora um "in the dark" no título hein? Daí já dá pra sentir o climão desse livro.
Bem, vamos a estória. Tess é uma mulher que está terminando a faculdade, um namorado amoroso e um futuro brilhante pela frente. Então o lindo namorado dela a presenteia com uma viagem para o México, para comemorar os dois anos de namoro.
Aqui só um parênteses: depois dessa estória, juro pra vocês que se alguém algum dia me presentear com uma viagem ao México, mando pastar na hora!!! kkkkkkkkkkkk.
Ok, voltando a estória: eles vão pro México, tudo lindo, romântico e trálálá... só que aí acontece o pior: ela é sequestrada por uma quadrilha especializada em tráfico de escravas sexuais, e vendida pra um tal de "Q", que é o "mocinho" desse livro.
Depois, pra essa estória ficar ainda mais quebradeira do que já é. Tess descobre que Q não a comprou, que ela foi oferecida a ele com um "suborno".  E aí já viu tudo... começa a fudelança toda.
Acho que a gente pode resumir essa estória toda assim: blábláblá, ele pode ter meu corpo, mas não minha alma e coração..blábláblá, sei que ela é uma submissa natural... blábláblá, acho que tô curtindo a bagaça com ele... blábláblá, senta, levanta, deita, ajoelha, chupa que é de uva... blábláblá, tenho de tentar fugir, só que não... blábláblá, ela é diferente de todas as 1.647.845.615.584 minas que eu tracei... blábláblá, nunca gozei tanto assim, deve ser amor... blábláblá, você deve se afastar de mim, tenho a alma sombria... blábláblá, vamos dar um jeito de ficar juntos, FIM.
Ai, que canseira... isso sem falar que, como a maioria dos livros que estão saindo hoje em dia, esse é o primeiro de uma trilogia chamada Monsters In The Dark. O segundo se chama Quintessentially Q e o terceiro chama-se Twisted Together.
Mesma história.. recomendo não...rs.

Enslaved (The Life of Anna, #1)
ENSLAVED - THE LIFE OF ANNA, PART 1 - Marissa Honeycutt
(Escravizada - A Vida de Ana, Livro 1)

Ok... bem.. se você não gorfou ainda com os outros livros acima, com certeza vai gorfar de ler esse aqui... ai, céus... eu mesma estou me perguntando como EU ainda não gorfei! kkkkkkkkkkkkkkk

O livro é o primeiro de uma série... que honestamente tá muito grande pro meu gosto, rsrsrs. E olha que a autora diz que esse é o livro mais light da série... senhor amado, não quero nem ver o que vem mais por aí então! rsrsrs.

Tá bom, tá bom, vamos à estória: Fala de Anna, uma menina que é criada exclusivamente pra ser a mega ultra blaster escrava sexual.

Isso mesmo que estão lendo: criada exatamente pra isso.

E tudo por causa de um cara com sede de poder que quer usá-la para chegar aos caras que detém o poder nos EUA.

Mas enfim, seus pais morrem então ela cai na mão de um tutor que começa a "treiná-la" para poder "passá-la" para Devin. A coitada vira uma "propriedade" pro cara fazer o que quiser com ela... é isso mesmo que vocês estão pensando... tudo isso aí e mais alguma coisa que a gente nem faz ideia que dava pra fazer. Aos 16 anos, ele pega a menina, e tira a virgindade dela... na marra. E assim vai seguindo a vida de Anna, entre estupros, humilhações, surras, mais estupros, espancamentos, outros estupros, etc, etc, etc... muito "dark", até mesmo para os mais "dark".

Eu mesma não tenho palavras pra descrever essa coisa... depois desse post, minhas forças literárias se esvaíram, rsrsrs. Então, vou ter de pegar emprestado a sinopse do livro e um aviso legal que vem junto no Goodreads, pra vocês terem uma ideia do que é esse universo fora da casinha posto nesse livro aí. Só o aviso legal já assusta, porque mostra tudo que contem nessa bagaça... parece mais uma bula. E olha que tem muitas, mas muuuuuitas contraindicações, rs. (tecla SAP mode ON):

A vida inteira de Anna foi escrita antes dela nascer por Devin Andersen, um homem que não cuida dos melhores interesses dela. Ela é destinada a ser uma ferramenta em suas mãos para ganhar o poder supremo nos EUA. Não, não como Presidente, mas como o homem que controla o Presidente.
Criada por um guardião extremamente abusivo, Anna foi moldada na ferramente perfeita para o uso de Devin. Devin irá usar os talentos raros de Anna para controlar todos ao seu redor e eventualmente tomar seus dons para si.
Quando Devin a tomar para si aos 16 anos, ela tem a visão de um homem. Um homem em quem Devin está muito interessado. Mas por que? Porque Devin se importaria com os sonhos de uma jovem garota?
Aviso legal: Essa série é sobre uma escrava sexual. Portanto, há sexo nela. Muito sexo. Outros avisos: Abuso físico, emocional, tortura física, tortura sexual, estupro morte violência, estupro violento, estupro grupal, sexo anal, sexo regular, sexo violento, sexo anal violento, sexo com objetos não-sexuais, sexo com objetos sexuais, h/m, h/h, m/m, h/m/h, orgias, cenas sangrentas, cenas perturbadoras, cenas que poderão fazê-lo vomitar ou chorar, cenas que fazem os personagens vomitar e chorar, distorções da mente, xingamentos, uso de drogas, múltiplas cenas de snuff, rituais perturbadores, manipulação, lavagem cerebral, pessoas em situações perturbadoras, heróis imperfeitos e antagonistas maus fazendo coisas más.

6 comentários:

  1. Uau!!!!!!!!!!!!
    se isso é romance, tô correndo fora
    gostei do post Gisele
    beijinhos..

    ResponderExcluir
  2. Muito esclarecedor seu post. Só casos escabrosos. Cruzes.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo post Gisele, quase li TEARS OF TESS - Pepper Winters .... graças aos céus foi quase ...... bj

    ResponderExcluir
  4. Eu comecei achando que ia ser sobre caras escrotos!
    Mas eram contos de horror! Mesmo no humor delícia da Gisele eu tô "Gorfando" té agora!
    Sério mandem trancar a sete chaves essas autoras porque imaginar uma porcaria dessas não é coisa de mente Sã não!
    E se vou ler? Nem presa,torturada e chicoteada, e se me fizerem ajoelhar eu aceito.
    Faço o máximo pra fazer uma "Garganta Profunda",tranco os dentes com todas minhas forças e só solto quando arrancar a "espada da maldade" do cara! E tenho dito! kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Oi Gi, kkkk eu chorei de rir com teu post. Adorei teu blog.
    Cara, eu acho que tem, sim, muita gente que viaja achando tudo lindo e desejando ter esses 'mocinhos' pra si. Mas não acho que porque a história é forte, grotesca e cruel ela é necessariamente ruim. Gosto de literatura por ser uma representação da realidade e, infelizmente, esse tipo de coisa acontece e muito. A síndrome de Estocolmo não é uma piração da mulher trouxa que se apaixona pelo cara que a maltrata, é um distúrbio sério e real. Ler sobre isso pode ser perturbador, mas imagine só ler livros fofinhos e com o que se convencionou a chamar de amor. Romances de banca, Nicholas Sparks ou Nora Roberts mentem tanto quanto as autoras de livros eróticos. A ficção é isso, uma representação da realidade, os julgamentos do que é bom ou não pra si são coisas bem pessoais, mas é sempre muito válido conhecer histórias. Me interessei em ler uns dois títulos da lista.

    Beijo.
    Mari Siqueira
    http://sobreamorelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Adorei os comentários sobre os livros, eles irão para meu caderninho com a lista: livros para nunca se ler.

    Sinceramente, não consigo entender a mente de alguém que acha algo assim romântico. Juro! Ou é muita perturbação da parte delas ou eu que sou anciã/mente primitiva/modernidade jamais (com apenas 20). Bom, prefiro ter a mente fechada para livros assim. Leio de tudo, tudo mesmo. Mas me sinto enojada de ver alguém idolatrando personagens perversos.

    "Oh, mas Amanda, isso são coisas que acontecem. Só é retratado no livro." Me poupeeeeeee!

    Por essa razão mesmo que fico "gorfando" por ver tanta devoção a esse tipo de pessoa e de situação. Hoje em dia as pessoas romantizam o abuso, creio que é um dos motivos para não ser levado tão a sério as necessidades das vítimas que NÃO gostam de passar por isso.

    Olha, desde o Christian Grey que estou entalada, e ele nem estuprou, né monamu? Imagina esses livros onde têm a descrição de um momento horrível, mas que muitas pessoas apagam isso e só focam no fato "ele é lindo", "que corpo maravigostoso, meudeusdocéu", claro, porque se for bonito e tiver um corpo digno de aplausos pode abusar das mulheres a vontade porque vão achar tudo muito romântico.

    Puto amor.
    Ops.
    Quis dizer "puro".

    Isso me enoja, estou correndo para vomitar.

    xoxo

    ResponderExcluir